Actualidade

Entrevista de Cristina Danón sobre os mercados do Magrebe

Cristina Danón possui mais de 25 anos de experiência em entornos internacionais como diretora de exportação e como gestora de projeto de internacionalização. Dispõe de uma ampla experiência com os mercados do Magrebe e já introduziu com sucesso dezenas de produtos naquele mercado. Como especialista na região, responde a perguntas recorrentes as PMEs espanholas:

MG 12502 300x2601- Tem aumentado a presença de empresas espanholas na região do Magrebe nos 25 anos em que trabalha no mundo do comércio internacional?

 A verdade é que tem aumentado muito. Hoje em dia Espanha é o segundo fornecedor do Marrocos a pouca distância da França. Uma prova é que durante o ano de 2012 realizaram-se mais de 40 missões comerciais ao Marrocos. Argélia também oferece oportunidades muito interessantes, ainda que se tratando de um país com necessidades mais básicas (produtos de menor valor agregado). Trata-se de um país que importa uma parte muito importante de suas necessidades: desde alimentação até os materiais de construção passando por produtos de vestuário (que tem que ser uma relação qualidade x preço bem ajustada). Tunísia é o menor país, mas o mais competitivo da África. Interessam-se por produtos e serviços mais tecnológicos e de maior valor agregado e pode ser considerada uma porta de entrada privilegiada para a Líbia.

2 – Que setores tem mais possibilidades ou que casos de sucesso de empresas espanholas você conhece na região norte africana?

São muitos os setores que oferecem oportunidades de negócio: materiais de construção e construtoras, energias renováveis, plantas de tratamento de águas residuais, maquinaria, ingredientes para alimentação, etc..

3 – Quais são os fatores que podem garantir o sucesso na zona?

As relações pessoais são muito importantes em todos os três países. O que quer dizer que temos que tomarmos com calma a introdução de nossos produtos e serviços àqueles países. É necessário viajar várias vezes para visitar as mesmas empresas, se acreditamos que têm potencial, acrescentando novas empresas a cada viagem. O objetivo desta relação contínua é construir uma relação pessoal com nosso interlocutor.  É importante também adaptar-se aos costumes locais, que são distintos dos nossos. Ler, informar-se, preparar-se para realizar negócios em um entorno amistoso, mas distinto. Regatear é a ordem do dia: não temos que dar nosso melhor preço desde o princípio. O melhor é deixar que pouco a pouco nosso cliente consiga pequenos resultados. Não é recomendável oferecer desde o começo preços muito altos com a previsão de regatear; se deve encontrar um equilíbrio justo.

 4 – Como International Team Consultung pode ajudar a empresas a ingressar nestes mercados?

Nossa experiência prática muitos anos neste mercado nos permite por à disposição de nossos clientes um amplo conhecimento sobre os canais de distribuição mais adequados, as fontes de informação, as formas de pagamento mais seguras e o estilo de negociação mais adequado. Assim, podemos acompanhar a nosso cliente desde seu batizado nesses mercados, procurando-lhes parceiros mais adequados de acordo com o perfil acordado e, se assim desejar, durante a negociação e a administração da operativa diária de suas vendas naqueles países.

Se deseja mais informação a respeito sobre como exportar na região do Magrebe, não hesite em contatar-nos:  info@int-team.com ou ao +34 93 414 05 00 e solicitar por Júlia Farré ou Cristina Danón.